Artigos

05/06/2019 09:00

MEIO AMBIENTE INTEIRO

                                  No dia 05 de junho se comemora o dia mundial do meio ambiente, data essa criada na primeira Conferência das Nações Unidas, em 1972, em Estocolmo, com o objetivo de promover atividades de proteção e preservação do meio ambiente e alertar a população e os governantes de cada país sobre os perigos de negligenciarmos a tarefa de cuidar do mundo em que vimemos. Dia 05 de junho não é só uma data para celebramos, pois, se nada for feito de concreto, num futuro bem próximo isso não passará de uma mera lembrança na folhinha. Precisamos olhar para o futuro, empenhados em um trabalho voltado para a preservação do meio ambiente, visando deixar um legado as nossas futuras gerações, com a conscientização sobre a importância de termos um meio ambiente preservado e sustentável e do que podemos fazer em prol dessa sustentabilidade, aprofundando estudos sobre impactos ambientais provocados pela ação do homem, haja vista sermos um Estado detentor de três biomas brasileiros, quais sejam, o cerrado, a floresta amazônica e o pantanal, que pedem socorro por conta da degradação desenfreada que vem acontecendo nos últimos anos e, deste modo, necessitam que tomemos, cada vez mais, medidas mitigadoras a fim de que possamos prevenir impactos negativos ou reduzir consideravelmente sua magnitude.

                                   Essa celebração fica apenas para marcar o momento. Muito suor ainda será derramado de cada um de nós, mas nossas atitudes devem dizer bem o que pretendemos de efetivo para alcançarmos a sustentabilidade mundial para que futuras gerações possam ter, ao menos, um futuro equilibrado e com possibilidade de contemplar o que hoje muitos apenas olham sem a devida importância. Isso num mundo onde a necessidade de ver o Meio Ambiente ser bem tratado é inversamente proporcional à recepção das pessoas e suas percepções do quanto esse assunto é importante.

                                   Não bastam discursos, é preciso ações por mais simples que possam parecer, sejam elas individuais ou coletivas, desde ajudar a limpar uma praia, confeccionar coisas com material reciclado, plantar uma árvore, separar lixos para serem reciclados até as mais complexas, como legislação mais rígida, fiscalização mais atuante a fim de que se faça cumprir a lei e coibir essa degradação cada vez mais alarmante e políticas públicas sérias e comprometidas com a preservação do meio ambiente.

                                   Se cada um de nós fizer a sua parte, temos certeza que sempre terá alguém que se sensibilizará e, talvez isso possa contagiar toda uma comunidade, população local ou, até mesmo, mundial.

                                   Para melhor ilustrar o que propomos transcrevemos abaixo a fabulosa parábola do beija flor e o incêndio na floresta:

“O beija flor e o incêndio

Numa imensa floresta viviam milhares de animais que desfrutavam daquele lugar maravilhoso quando uma enorme coluna de fumaça foi avistada ao longe e, em pouco tempo, embaladas pelo vento, as chamas já eram visíveis pelas copas das árvores. Os animais para se salvarem do incêndio começaram a correr, fugindo... Eis que, naquele momento, uma cena muito estranha acontecia. Um beija-flor voava da cachoeira ao fogo, levando gotas d'água em seu pequeno bico, tentando amenizar o grande incêndio. O elefante, admirado com tamanha coragem, aproximou-se e perguntou-lhe: -Seu beija-flor, o senhor está ficando louco? Não está vendo que não vai conseguir apagar esse incêndio com gotinhas d'água? Fuja enquanto é tempo! Não percebe o perigo que está correndo? Se retardar a sua fuga talvez não haja mais tempo de salvar a si próprio! O que você está fazendo de tão importante? E o beija-flor respondeu: -Sei que apagar este incêndio não é apenas problema só meu senhor elefante. Eu apenas estou fazendo a minha parte! Preciso deste lugar para viver e estou dando a minha contribuição para salvá-lo! o senhor elefante tem razão quando diz que há mesmo um grande perigo em meio às chamas, mas acredito que se eu conseguir levar um pouco de água em cada voo que fizer da cachoeira até o fogo, estarei fazendo o melhor que posso para evitar que nossa floresta seja destruída. Em menos de um segundo o enorme animal marchou rapidamente atrás do beija-flor e, com sua vigorosa capacidade, acrescentou centenas de litros d’água às pequenas gotinhas que ele lançava sobre as chamas. Notando o esforço dos dois, em meio ao vapor que subia dentre alguns troncos carbonizados, outros animais lançaram-se para a cachoeira formando um imenso exército de combate ao fogo. E venceram o incêndio. Ao cair da noite, os animais da floresta estavam exaustos pela dura batalha vivida, mas vitoriosos porque permaneceram sobre a relva que duramente haviam protegido”

                                   Portanto, preservar o meio ambiente depende de cada um de nós e não esperarmos que os outros façam. Agora!

                                   Atualmente existe uma grande preocupação em torno do meio ambiente e dos impactos negativos da ação do homem sobre ele. A destruição constante de habitat e a poluição de grandes áreas, por exemplo, são alguns dos pontos que exercem maior influência na sobrevivência de diversas espécies.

                                   Tendo em vista o acentuado crescimento dos problemas ambientais, muitos pontos merecem ser revistos tanto pelos governantes quanto pela população para que os impactos sejam diminuídos. Se nada for feito, o consumo exagerado dos recursos e a perda constante de biodiversidade poderão alterar consideravelmente o modo como vivemos atualmente, comprometendo, inclusive, nossa sobrevivência.

                                   Ao longo do nosso trabalho como vereador sempre nos preocupamos com a questão ambiental como sendo uma das políticas prioritárias, tanto que desenvolvemos vários programas de conscientização e preservação do meio ambiente, com o apoio do poder público e da iniciativa privada, levando eventos para as comunidades escolares e dezenas de bairros do nosso município, dentre as quais destacamos:

Clareia Cuiabá

O Projeto Clareia Cuiabá é um projeto de Iluminação urbana realizado em parceria com a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos, atendendo pontos de vários bairros com os serviços de iluminação e troca de lâmpadas.

Mutirão da Limpeza

O mutirão da limpeza tem buscado conscientizar a população para a coleta seletiva de resíduos sólidos, não jogar lixo na rua e a necessidade do plantio de árvores, com a participação de cerca de 300 trabalhadores voluntários.

Movimento de Arborização Comunitária – PlantAR

Programa idealizado por nós, logo no início do primeiro mandato, tem a meta de rearborizar a capital mato-grossense, com a expectativa de até o fim do mandato, mais de 30 mil árvores nativas ganhe espaço na grande Cuiabá.

Com essas ações de preservação ao meio ambiente, o PlantAR faz o levantamento das necessidades estruturais por onde passa, tendo já percorrido todas as regiões da capital, para que, tão logo, Cuiabá resgate o título de “Cidade Verde”, esquecido ao longo dos tempos, através do plantio de mudas frutíferas e ornamentais, típicas do bioma do cerrado, chegando à significante marca, por enquanto, de mais de 30 mil mudas plantadas.

                                   Não podemos mais ficar de braços cruzados vendo as tragédias acontecerem, como as de Brumadinho e de Mariana e tantas outras que, infelizmente, ainda veremos, se não tomarmos uma atitude. Já passou da hora de ouvirmos o que a natureza grita ou, como diria o grande pensador Victor Hugo, É triste pensar que a natureza fala e que o gênero humano não a ouve".

                                   Somente com a nossa conscientização deixaremos para os nossos filhos, netos e todas as gerações futuras, um meio ambiente intocado, protegido, resguardado e........inteiro!!!

 

Mário Nadaf: é Advogado, Professor , Historiador e líder do PV na Câmara Municipal de Cuiabá


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo